Uma Arquidiocese, o primeiro Arcebispo

O próprio Dom José Lambert manifestou-se surpreso ao ser informado por telefone pelo então Núncio Apostólico no Brasil, Dom Carlo Furno, que a criação canônica da Arquidiocese de Sorocaba seria oficializada em Roma aos 29 de abril de 1992, pela bula ‘Brasiliensis Fidelis’ assinada pelo Papa João Paulo II, juntamente com sua designação como primeiro arcebispo metropolitano. A elevação da Diocese de Sorocaba à condição de Arquidiocese tornaria-se realidade em pouco tempo devido à reforma da configuração territorial eclesiástica paulista que os bispos do Estado vinham pleiteando à Santa Sé. O cardeal-arcebispo de São Paulo à época, Dom Paulo Evaristo Arns, empenhava-se pessoalmente junto à Cúria Romana pela consolidação desse plano de descentralização da vida eclesiástica de São Paulo, tendo apresentado ao Sumo Pontífice, que aprovara a proposta de redivisão territorial da extensa Arquidiocese de São Paulo, com a criação dentro dela de outras quatro dioceses autônomas (Campo Limpo, Santo Amaro, São Miguel Paulista e Osasco).

Por essa bula o Papa João Paulo II não só criava as citadas dioceses, compondo uma nova configuração da Província Eclesiástica de São Paulo, como também criando a Arquidiocese de Sorocaba constituía, concomitantemente, a nova Província Eclesiástica de Sorocaba, encabeçada por Sorocaba e tendo como sufragâneas as dioceses de Itapeva, Jundiaí, Registro e, posteriormente, Itapetininga – essa última criada a 15 de abril de 1998, designando como seu primeiro bispo dom Gorgônio Alves da Encarnação Neto, CR, então prepósito da Província Paulo VI do Brasil da Ordem dos Clérigos Regulares (Padres Teatinos).

Como legado pontifício, o cardeal-arcebispo de São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns, veio a Sorocaba a 4 de julho de 1992, data das comemorações do 68º aniversário de criação da Diocese, para presidir as cerimônias canônicas de instalação da agora Arquidiocese e posse de seu primeiro arcebispo metropolitano. Dias antes, a 29 de junho, Dom José Lambert estava em Roma, recebendo das mãos do Papa João Paulo II o pálio, símbolo da dignidade arquiepiscopal.

Dom José toma posse como primeiro arcebispo metropolitano. (Acervo: Cúria Metropolitana)

Como sede da nova Província Eclesiástica, a Arquidiocese de Sorocaba passa a atuar como ponto de unidade com as dioceses sufragâneas, por isso foram criados o Tribunal Eclesiástico Interdiocesano na cidade de Sorocaba – tendo a presidi-lo o padre João Carlos Orsi, doutor em Direito Canônico, e também o Instituto Superior de Teologia “Papa João Paulo II”.

A Arquidiocese de Sorocaba é responsável direta pelos municípios de Sorocaba, Araçoiaba da Serra, Boituva, Cerquilho, Iperó, Jumirim, Piedade, Porto Feliz, Salto de Pirapora, Tapiraí, Tietê e Votorantim. Pertence ao Conselho Episcopal Regional Sul I da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Tem Nossa Senhora da Ponte como padroeira.

Colaboração: José Benedito de Almeida Gomes/Edição de Juliana Cuani. Originalmente publicado no Especial “Arquidiocese de Sorocaba 90 anos” – Jornal Terceiro Milênio/ 2014.