São José

Eu trago em minha mente, contado por meu pai, que eu desde o Batismo fui marcado pelo nome de José Ernani, isto me trouxe um apelo para eu ter devoção a este grande santo da Igreja. Portanto, o pedido de Dom Julio me alegrou a falar para vocês sobre este santo da minha devoção, este santo da devoção de toda Igreja. Ele é o patrono de toda Igreja.

São José, esposo de Maria, pai adotivo de Jesus, quem desde o inicio foi agraciado por Deus para exercer uma missão tão especial na vida dos primeiros cristãos, e na vida de toda Igreja.

José homem de fé, quem passou por muitas dificuldades em sua missão, trouxe para nós um testemunho da fé. Homem que confiou em Deus, e mesmo não entendendo muita coisa, aceitou tudo que Deus pediu.

A fé é uma confiança total, isso nós aprendemos de São José, isto nós sentimos também os devotos deste tão consagrado santo. Foi por ser este homem de fé, quem confiou no Senhor, quem fez coisas maravilhosas, coisas que encantam todo o povo de Deus. Sendo assim, foi chamado de patrono da Igreja.

É uma devoção muito popular a de São José, muita gente liga com a devoção à Sagrada Família. Ele, aquele quem soube criar clima, ambiente para que O Filho de Deus Pai se encarnasse, e vivendo entre nós, tivesse toda a possibilidade de ter um lar, de ter uma mãe, e de deixar um grande exemplo para todos nós.

Nossa Paróquia, aqui no Cerrado, é dedicada a São José, e eu tive a alegria de ter sido Pároco da mesma durante muitos anos, e agora por causa da idade, ser Vigário Paroquial, mas a devoção a São José é grande em mim.

Este ano a Igreja, da qual José é patrono, está comemorando o ano de São José, o exemplo de José, o homem quem deixou para nós tanto testemunho. Ele, pelo seu comportamento, pela sua fidelidade a Deus, traz para nós alegria de ser um exemplo para família. Nossa Senhora teve como esposo José, Nossa Senhora teve como companheiro de jornada, de missão Divina, a ligação com São José, Jesus encontrou um lar. A família tem alguém em quem se espelhar, a família tem onde colocar como devoção especial a Sagrada Família de Nazaré́. Que este ano não passe despercebido, mas que seja um ano em que a gente possa se lembrar mais deste tão querido e agraciado santo.

Uma vez um paroquiano, um senhor médico, disse que São José deveria ser patrono dos obstetras, pois foi o primeiro quem ajudou Jesus nascer, foi o primeiro quem cuidou da Mãe de Jesus na hora do parto. São José, exemplo para muitas pessoas, e para muitos médicos. Como é sagrado o filho que nasce, como é sagrado o filho que chega num lar, na vida de um casal, na vida dos pais, e em São José podemos encontrar muitos estímulos. São José, homem que deveríamos ter em nossas casas como patrono da família, assim como é patrono de toda Igreja.

São José chama atenção de todos trabalhadores, de quem também é patrono, sendo no dia 1 de maio lembrado pelos cristãos como tal. Os trabalhadores deveriam expor mais a sua devoção a ele, deveriam expor mais o amor àquele quem trabalhou como marceneiro, aquele quem trabalhou para sustentar seu lar. Jesus não nasceu num palácio, Jesus não se encarnou numa família rica e tudo pronto, que tem de tudo, Jesus nasceu numa família pobre, Jesus nasceu numa família que caminhou normalmente, teve problemas, teve dificuldades, não sei se passou fome, mas certamente viveu como vivia o povo do seu tempo.

São José patrono dos trabalhadores, da família e da Igreja, que ele seja amado, que ele seja sempre bem falado, bendito do povo, que ele seja para nós alguém que nos ajude a amar mais a Igreja, amar mais a família da qual fazemos parte, amar mais o trabalho, e a graça de ter um trabalho nos dias de hoje. Amém!

Padre José Ernani Angelini

 

Caro irmão, querida irmã da Arquidiocese de Sorocaba

Alguns padres, desejosos de aumentar o amor dos cristãos a São José e de incentivar as pessoas a imitar as virtudes deste grande Santo, escreveram artigos para esta coluna semanal “Ano de São José”. A fim de criar uma disseminação benéfica dessas reflexões, convido-o(a) a compartilhar os artigos nas suas redes sociais, nos boletins e periódicos paroquiais. Boa leitura. Reflita, reze e compartilhe.

Com minhas orações,

+Julio Endi Akamine

 

 

Ícone do século XVIII de origem melquita cujo estado de conservação  mostra sinais de deterioração. A representação está em busto, da cintura para cima. Os rostos em meio perfil das personagens tem o olhar voltado para quem contempla o ícone. A mão direita de São José está voltada para Jesus, como a indicá-lo como “o caminho a verdade e a vida”. A mão esquerda ampara o menino Jesus como se o oferecesse a humanidade.

Fonte: Padre Almir

 

 

 

Compatinhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp