Missa de cinzas dá início à Quaresma

Neste dia 6 de março, foi celebrada a Quarta-feira de Cinzas – início da Quaresma e abertura da Campanha da Fraternidade 2019, com o tema ‘Fraternidade e Políticas Públicas’.

Abrindo este tempo de reflexão, penitência e conversão, a Missa com imposição das Cinzas foi celebrada em todas as paróquias da Arquidiocese de Sorocaba veja a galeria de imagens.

Arcebispo celebrou na Catedral Metropolitana

A missa ao meio dia na Catedral Metropolitana de Nossa Senhora da Ponte foi presidida pelo arcebispo Dom Julio Endi Akamine, com a presença de alguns padres do clero arquidiocesano.

Em sua homilia, Dom Julio ressaltou a postura de Jesus, não buscando ser admirado pelas pessoas, mas vivendo sempre na presença do Pai. “O Evangelho de hoje nos mostra qual é a atitude interior própria de Jesus e como Ele vive neste mundo a Sua relação com Deus, pois antes de mandar alguém fazer, Jesus vive isto que ele ensina. O evangelista Mateus nos apresenta 3 práticas: o jejum, a esmola e a oração. Ao fazer o bem, esperamos um certo reconhecimento, uma falsa recompensa. Estas são tentações comuns a estas práticas apresentadas”.

Fazer o bem

“O Senhor nos pede que façamos o bem, porque é o bem, não por algo que possa ser trazido como benefício. Se vivermos no Amor do Pai, nós faremos o bem de um modo perfeito, estarmos cheios da presença de Deus é uma alegria muito mais profunda do que qualquer alegria humana. A nossa atitude nessa Quaresma seja, portanto, a de viver no segredo onde o Pai nos vê e nos espera”, disse o arcebispo.

Sobre a Campanha da Fraternidade, o arcebispo destacou o lema escolhido do primeiro capítulo do livro de Isaías: “Serás libertado pelo direito e pela justiça”.

“Fraternidade e Políticas Públicas foi o tema escolhido para este ano, a Igreja precisa de conversão. A Igreja necessita de reforma contínua e a CF é um exemplo muito claro do que é a Igreja, ela é católica, universal e se dirige a todos. Ela não se preocupa apenas com seu rebanho – do lado de dentro estão os salvos e do lado de fora estão todos os outros, nessa lógica não há outra escolha a não ser se converter como os que estão dentro, mas todos nós necessitamos de conversão, e se trata de uma conversão para Cristo”.

“Por isso a Igreja procura falar ao mundo de maneira significativa, procura falar também aos que não são católicos ou cristãos, com aqueles que não tem fé, e busca colaboração entre os homens de boa vontade. Políticas Públicas são o modo como a sociedade se organiza para enfrentar os problemas sociais, as chagas como a fome, filas nos hospitais e a violência. Nós queremos colaborar com a sociedade com o melhor que nós temos, o Evangelho. Enfrentar os problemas sociais são um modo de caridade, social, institucional e organizada. A CF mostra o que de fato é a catolicidade, a Igreja procura colaborar com todos, sair de si e ir ao encontro do outro”, finalizou.