Dom José Melhado Campos – Segundo Bispo Diocesano de Sorocaba

Filho de Gabriel Melhado e Tereza Campos, nasceu em Limeira/SP a 29 de novembro de 1909. Fez seus estudos primários em Birigui. Cursou dois anos no Ginásio Diocesano e os demais no Seminário Menor de Botucatu. Cursou Filosofia e três anos de Teologia no Seminário Maior da cidade, concluindo o curso no Seminário Central de São Paulo, para onde já foi ordenado como diácono.

Foi ordenado sacerdote a 15 de agosto de 1934, no Santuário de Nossa Senhora Aparecida, no bairro de Água da Rosa, às margens da Rodovia Marechal Rondon, no município de São Manoel. O padre Juca, como era então conhecido, nomeado inicialmente vigário coadjutor da Paróquia de Nossa Senhora das Dores, da cidade de Avaré/SP. Transferido mais tarde para Lençóis Paulista e depois Piratininga, foi nomeado professor do Seminário Menor de Botucatu, onde se tornou reitor posteriormente, cargo que ocupou por dezessete anos.

Durante dois anos de vacância da então Diocese de Botucatu, foi ainda seu administrador apostólico, até a chegada do novo bispo, na pessoa de Dom Henrique Golland Trindade. Foi também por quatro anos vigário da Catedral de Sant´Ana em Botucatu/SP, e depois da Paróquia do Divino Espírito Santo, futura Catedral da cidade de Bauru/SP, onde, porém, permaneceu menos de seis meses, sendo eleito para o Episcopado a 29 de março de 1960 pelo Papa João XXIII, como terceiro bispo de Lorena, recebendo a sagração episcopal na Catedral de Botucatu a 17 de julho de 1960.

Em 21 de fevereiro de 1965, o papa Paulo VI nomeou-o titular de Óspita e coadjutor com direito à sucessão de Dom José Carlos de Aguirre na então Diocese de Sorocaba, tomando posse em 1º de maio de 1965. Em 16 de dezembro de 1965, a Santa Sé, com a idade avançada de dom Aguirre, o nomeia bispo coadjutor e administrador apostólico ‘sede plena’ da Diocese, tomando posse em 2 de fevereiro de 1966. Com a morte de Dom Aguirre em 8 de janeiro de 1973, assumiu as funções de Bispo Diocesano. Em 20 de janeiro de 1980, deixou o governo da Diocese que foi entregue a seu sucessor Dom José Lambert, primeiramente nomeado também bispo coadjutor e administrador apostólico ‘sede plena’ pelo Beato Papa João Paulo II e, pouco mais de um ano depois, terceiro bispo diocesano de Sorocaba, com pedido de renúncia apresentado por Dom José Melhado e aceito por João Paulo II em 20 de maio de 1981.

Foi autor de vários livros, incluindo “Memórias do Juca”, “Puebla em versos”, “Memórias da Diocese de Lorena” e “Memórias da Diocese de Sorocaba”. Também foi autor de numerosos artigos em jornais de Botucatu, Lorena e Sorocaba, sendo cidadão honorário das mesmas cidades. Foi também membro da Academia Botucatuense de Letras e sócio fundador da Academia Sorocabana de Letras.

Ao deixar o governo da Diocese, passou a residir no Lar São Vicente de Paulo em Tatuí/SP. Faleceu no dia 21 de setembro de 1996, na Santa Casa de Misericórdia de Tatuí/SP. Seu corpo foi transladado para Sorocaba, velado e sepultado na capela mortuária dos Bispos da Catedral Metropolitana.

O lema episcopal de dom José Melhado Campos era: “Cum Matre Jesu” (“Com a Mãe de Jesus”).