Comentário ao Evangelho – Terça-feira da 8ª Semana TC – 30.05.2023

Terça-feira da 8ª Semana TC

Eclo 35,1-15

Clique para ouvir o Evangelho e seu comentário:

A leitura indica de maneira prática e concreta o modo como colocar em prática os dois mandamentos de amar a Deus e amar o próximo. Na leitura o amor a Deus se manifesta pelas práticas rituais e ofertas feitas a Deus, enquanto que o amor ao próximo se atua pela prática da justiça e da caridade.

A vida ética e honesta e os sacrifícios rituais, a prática da caridade e as práticas rituais são apresentados um ao lado do outro. Ou melhor: são apresentados unidos e em mútua dependência. Assim a oferta a Deus está intimamente relacionada ao ofertante: para que a oferta seja agradável a Deus, é preciso que o ofertante agrade a Deus, vivendo de maneira justa e caridosa em relação aos outros. Os sacrifícios rituais só são aceitos por Deus se vierem acompanhados de atitudes bem concretas: a justiça, a generosidade para com os pobres, a alegria e o espírito de gratidão. “Quem dá esmolas oferece um sacrifício de louvor. O que agrada ao Senhor é afastar-se da iniquidade: propiciar pelos pecados é afastar-se da injustiça”.

Deus não recebe os sacrifícios de bens injustos. Oferecer sacrifícios a Deus para que Ele deixe passar a injustiça equivale a subornar Deus. Tentar ganhar a benevolência de Deus com oferendas injustas é o mesmo que tentar corromper Deus. “Não tentes subornar Deus com presentes pois não os aceitará; nem confies num sacrifício injusto, porque o Senhor é um juiz que não faz acepção de pessoas”.

Se nossa oferta a Deus estiver unida à prática da justiça e da caridade, nós entraremos num círculo virtuoso de dom divino e de oferta a Deus. Deus começa dando e nós respondemos a Deus, dando o que Dele recebemos. A essa nossa oferta, Deus responde multiplicando os seus dons, e nós, mais uma vez, retribuímos oferecendo com generosidade o que generosamente recebemos de Deus. “Dá ao Altíssimo segundo a doação que Ele te fez e com generosidade, segundo o produto de tuas mãos, porque o Senhor é alguém que retribui, e te recompensa sete vezes mais”.

Nós vivemos numa admirável dialética de graça: Deus toma a iniciativa de dar os seus dons, e nós respondemos dando a Deus do que nós recebemos. E Deus torna a nos dar multiplicando por sete o que nós demos a Ele do que dEle recebemos.

Nós como que estamos aprisionados, envolvidos e elevados entre os dons de Deus, entre os dons iniciais de Deus e os dons multiplicados por Deus. Assim é nossa relação com Cristo. Ele nos deu a Vida; e nós damos nossa vida unida a Ele; Ele multiplica por cem o que oferecemos.

Por Dom Julio Endi Akamine SAC

Veja mais em: Biografia / Agenda do Arcebispo / Palavra do Pastor / Youtube / Redes Sociais

Compartilhe: