Comentário ao Evangelho – Terça-feira 28/06/2022

Terça-feira da 13ª Semana do TC

Am 3,1-8; 4,11-12

Clique para ouvir o Evangelho e seu comentário:

O profeta Amós recorda ao povo um privilégio e dessa situação privilegiada tira consequências surpreendentes. Os israelitas têm o privilégio de ser o único povo que foi escolhido por Deus: “Dentre todas as nações da terra, somente a vós reconheci”. O Deuteronômio insiste várias vezes nessa situação privilegiada de Israel: “O Senhor, teu Deus, te escolheu, dentre todos os povos da terra, para seres o seu povo particular. O Senhor afeiçoou-se a vós e vos escolheu” (Dt 7,6-7). “Dentre todos os povos, que há na face da terra, o Senhor te escolheu para seres o seu povo particular” (Dt 14,2).

O profeta Amós tira desse privilégio de ser o povo escolhido uma consequência surpreendente e aparentemente contraditória: “por isso usarei o castigo por todas as vossas iniquidades”.

O privilégio se transforma em uma enorme desvantagem: em vez de se comportar com indulgência e compreensão, Deus anuncia que será severo e intransigente. Não deixará sem castigo pecado algum do povo escolhido. Promete castigar todas as culpas.

Na realidade, entre severidade e amor não há contradição alguma. Pelo contrário, a severidade manifesta a autenticidade e a profundidade do amor. Deus não deixa de castigar o povo de suas iniquidades exatamente porque o ama e se afeiçoou a ele. Deseja libertar o seu povo do mal e quer purifica-lo. A causa da severidade divina é amor e a finalidade buscada é também o amor. Deus purifica o seu povo para tornar possível uma mais estreita união com Ele no amor.

O mais importante nisso tudo e sobre a qual Amós insiste muito é o modo como acolhemos a correção de Deus. De fato, nenhuma correção é agradável, mas ela é demonstração de amor e quando é bem acolhida conduz a uma maior santidade de vida. Assim cada provação se transforma em uma ocasião para retornar a Deus.

O profeta Amós, porém, critica o povo porque, mesmo sendo castigado por Deus, não quis se converter a Deus: “eu vos arrasei e, contudo, não voltastes para mim, diz o Senhor”. Para o profeta Amós, essa advertência de Deus, revela a impenitência do povo e sua obstinação no pecado. É uma triste e trágica constatação.

Não aconteça o mesmo conosco. Saibamos acolher as correções divinas como oportunidades para receber graças ainda maiores. O Senhor nos convida a aprofundar a nossa relação com Ele, correspondendo aos seus desígnios de amor.

 

Por Dom Julio Endi Akamine SAC

Veja mais em: Biografia / Agenda do Arcebispo / Palavra do Pastor / Youtube / Redes Sociais

 

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Siga nossas Redes Sociais:

CONTATO

Av. Dr. Eugênio Salerno, 100
Vila Santa Terezinha, Sorocaba – SP
CEP: 18035-430
Telefone: (15) 3221-6880