Comentário ao Evangelho – Sexta-feira 20/12/2019

3ª Semana do Tempo do Advento – ANO A

Lc 1,26-38

Por Dom Julio Endi Akamine SAC

No evangelho da anunciação Maria é chamada de “cheia de graça”. No original grego essa expressão tem um verbo na voz passiva. Assim uma tradução literal do original grego é: “aquela que foi cumulada de graça”. É Deus que agiu, que cumulou Maria de graças. Foi Deus que preparou Maria para ser a mãe do Salvador.

A iniciativa é totalmente de Deus. E Maria reconhece esse protagonismo de Deus. Ela se apresenta como a Serva do Senhor. Maria não tem orgulho; ela escuta com humildade e acolhe a iniciativa divina sem pretensões pessoais. Seu único desejo é o de servir Deus.

O Senhor nos amou por primeiro. E se quisermos receber toda a alegria do natal, se quisermos receber toda a esperança que nos é dada neste mistério, devemos insistir neste comportamento de humildade e de obediência: é Deus que vem a nós como dom gratuito, como um presente que não merecemos, mas que nos é oferecido por Deus. Não estamos na ordem do merecimento ou da barganha. Estamos na ordem da graça e do amor. Natal é esse dom de amor e de graça.

 

Veja mais em: Biografia / Agenda do Arcebispo / Artigos / Youtube / Redes Sociais