Comentário ao Evangelho – Sábado 11/04/2020

Vigília Pascal – ANO A

Mt 28,1-10

 

Clique para ouvir o Evangelho e seu comentário:

 

A ressurreição de Jesus é um evento transcendente. O que isso significa? Significa que a ressurreição não é um evento deste mundo, desta nossa condição terrena; não é um fenômeno como os outros que podemos constatar com nossos sentidos, submetido à nossa observação e análise. O ser humano tem a capacidade de captar e examinar e como que dissecar os fenômenos que estão sob o nosso poder de observação. A ressurreição supera a nossa capacidade de observação. Por isso o evento da ressurreição de Jesus escapa ao nosso poder, não está à nossa disposição para ser observado pelos nossos sentidos e investigado pela nossa razão.

Diferente da morte de Jesus que é um evento deste nosso mundo, a ressurreição não teve testemunhas imediatas. As mulheres, à primeira vista, parecem ter sido testemunhas diretas da ressurreição de Jesus. Afinal, elas foram ao sepulcro de madrugada para ungirem e embalsamarem o cadáver de Jesus, como afirmam Marcos e Lucas. No evangelho de hoje, Mateus narra a ressurreição de Jesus não como algo observável, mas de um modo indireto. Ele fala do terremoto, da aparição do anjo que retira a pedra do sepulcro e se senta sobre ela. É uma tentativa de descrever o que é, por sua natureza, indescritível.

Outra forma indireta de narrar o inefável é o sinal do sepulcro vazio. Ele pode ser constatado, mas ninguém pode ver diretamente o evento mesmo da ressurreição. O anjo convida as mulheres a ver o lugar onde estava Jesus e onde não está mais.

A reação das mulheres é a de medo e alegria. Não são sentimentos contraditórios, pois o medo é a reação perante o sobrenatural, é o assombro ante a ação de Deus. A alegria é também a reação de surpresa ante a ação de Deus. Se há algo divino, mais divino não há do que a ressurreição de Jesus.

O relato de Mateus parece se interromper, pois Jesus vai ao encontro das mulheres que correm com grande alegria para anunciar o fato aos outros discípulos. Trata-se de fato de uma ruptura na narrativa assim como de uma interrupção no retorno das mulheres. A ressurreição de Jesus é algo novo. Não faz parte da evolução normal dos acontecimentos; não se situa entre os eventos deste mundo e desta nossa condição terrena.

É de suma importância o fato de Jesus ressuscitado ir ao encontro das mulheres. É Jesus quem tem a iniciativa. A fé na ressurreição não é o resultado de nossos raciocínios e de nossa observação. É dom de Deus que depende da iniciativa de Jesus.

Jesus convida as mulheres à alegria e as encarrega de anunciar aos discípulos que se dirijam à Galileia. É na Galileia que acontecerá as mias importante de todas as aparições de Jesus.

 

Por Dom Julio Endi Akamine SAC

 

Veja mais em: Biografia / Agenda do Arcebispo / Palavra do Pastor / Youtube / Redes Sociais

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Siga nossas Redes Sociais:

CONTATO

Av. Dr. Eugênio Salerno, 100
Vila Santa Terezinha, Sorocaba – SP
CEP: 18035-430
Telefone: (15) 3221-6880