Comentário ao Evangelho – Quinta-feira 12/03/2020

2ª Semana da Quaresma – ANO A

Lc 16,19-31

 

Clique para ouvir o Evangelho e seu comentário:

 

O evangelho nos apresenta de um lado a vida despreocupada do rico e de outro a existência miserável do pobre. Não há nenhuma relação entre estas pessoas, e esta ausência de relação será mais tarde sancionada por Deus: não é mais possível nenhuma relação. Estabeleceu-se entre os dois um grande abismo, abismo que não pode ser transposto.

Ao rico epulão cabem as palavras do profeta Jeremias: “Maldito o homem que se fia no homem que faz da carne a sua força, mas afasta o seu coração de Deus!”. Este pobre rico é um exemplo das pessoas que organizam a própria existência independentemente de Deus, cercando-se de todas coisas para ser feliz aqui. Pessoas assim não têm ideia nenhuma do que seja a confiança em Deus.

Esta parábola nos mostra que para confiar em Deus é necessário ser solidário com aquele que se encontra na pobreza. A verdadeira confiança em Deus sempre é acompanhada de pobreza e de solidariedade com o pobre, caso contrário não passa de confiança ilusória em Deus.

A verdadeira confiança em Deus renuncia as riquezas deste mundo: renuncia a confiança no dinheiro, nas capacidades e na saúde. É claro que ninguém deve buscar a doença para provar sua confiança em Deus, mas devemos renunciar à alegria da saúde, no sentido de que devemos colocar-nos a serviço daqueles que não têm esta alegria. Deste modo estaremos na pobreza com o pobre, com ele gritaremos a Deus e teremos confiança nele.

Em uma época na qual a indiferença vai tomando conta das consciências e dos corações, a quaresma se mostra como tempo importante para a reflexão sobre a misericórdia e a compaixão (Texto-base, CF 2020, 46).

 

Por Dom Julio Endi Akamine SAC

 

Veja mais em: Biografia / Agenda do Arcebispo / Palavra do Pastor / Youtube / Redes Sociais