Comentário ao Evangelho do Dia – Domingo 33º TC

Por Dom Julio Endi Akamine SAC

 

Lc 21,5-19

Em nenhum momento Jesus prometeu aos discípulos um caminho feito de facilidade, de êxito e de glória. O Evangelho de hoje é um choque para quem pensa que seguir Jesus seja um salvo conduto mágico contra todo tipo de sofrimento e provação.  Sereis presos e perseguidos; sereis entregues às sinagogas e postos na prisão; sereis levados diante de reis e governadores por causa de meu nome.

O caminho dos discípulos de Jesus e da sua Igreja está cheio de dificuldades e de lutas. Jesus não alimenta o triunfalismo: se quisermos seguir Jesus, precisamos estar preparados para o combate espiritual. Esse combate consiste em não se deixar enganar por muitos que se apresentam como salvadores e prometem a felicidade fácil: Cuidado para não serdes enganados, porque muitos virão em meu nome, dizendo: sou eu! E ainda: O tempo está próximo! Não sigais essa gente!

O combate espiritual consiste também em não se apavorar quando ouvirmos falar de “guerras e revoluções”, quando este mundo em que vivemos e no qual tanto confiamos mostrar os sinais de sua caducidade e fragilidade: “haverá grandes terremotos, fomes e pestes em muitos lugares, acontecerão coisas pavorosas e grandes sinais serão vistos no céu”. Este mundo passa e, no seu interior, já podemos ver os sinais de sua fragilidade! Evidentemente nos preocupamos quando acontecem os cataclismos, mas não devemos nos deixar vencer pelo pavor.

Não somente experimentamos a caducidade do mundo. Experimentamos também o ódio crescente do mundo contra os cristãos. “Todos vos odiarão por causa de meu nome”. Por causa de meu nome… Ser fiel a Jesus, viver como Ele viveu, praticar o que ele ensinou, tem como consequência o ódio de uma sociedade que rejeita sempre mais o Evangelho. Cada vez mais constatamos que ser cristão se torna perigoso!

Por outro lado, Jesus nos assegura que, ao sermos acusados e perseguidos pelo mundo, ele mesmo nos dará “palavras tão acertadas, que nenhum dos inimigos poderá resistir ou rebater”. Além disso, Jesus nos promete que, mesmo odiados por todos e até pela própria família, quem nele se apoia “não perderá um só fio de cabelo”. Quando tudo parece conspirar para destruir a fé dos cristãos, recebemos a garantia do próprio Jesus: “vós não perdereis um só fio de cabelo”. Com a morte e a ressurreição, nada de Jesus se perdeu. Seguindo Jesus no mesmo caminho pascal, nada do cristão está perdido nem será perdido definitivamente. Nenhum fio de cabelo! Nada do cristão, em seu seguimento e testemunho de Jesus, se perderá, pois a Páscoa tudo transfigura e transforma.

São tantas as ameaças e os perigos para quem quer ser cristão! Provações causadas pelas guerras, revoluções e desastres naturais! Oposição e ódio de uma sociedade que perde progressivamente os valores do evangelho e se volta contra os cristãos! Rejeição dos próprios familiares! Tudo isso, por causa da proximidade de Jesus, é ocasião para continuarmos dando testemunho valoroso do Evangelho! É um testemunho corajoso que não se alimenta de nosso heroísmo, mas que se apoia unicamente e humildemente na assistência de Cristo: vós não perdereis um só fio de cabelo.

Como faz bem o realismo do Evangelho de hoje! Como nos faz bem a companhia de Jesus!

 

Veja mais em: Biografia / Agenda do Arcebispo / Artigos / Youtube / Redes Sociais