Comentário ao Evangelho do Dia – 22 de setembro

(22 de setembro – sábado 24a semana TC: Lc 8,4-15)

Por Dom Julio Endi Akamine SAC

A parábola do semeador é bem conhecida e Jesus mesmo dá a explicação dela. Por isso tentemos reter e acolher os pontos essenciais dessa parábola. A palavra de Deus é como a semente que não é uma coisa morta. Mesmo que não pareça, ela é tem vida, pode crescer e se multiplica.

Essa palavra deve ser semeada pela pregação do evangelho. Pregar o evangelho, falar explicitamente de Jesus e do Evangelho é semear a semente.

A semente, porém, pode não frutificar. Não por culpa da semente, mas por causa das forças que a ameaçam e com as quais é preciso contar.

Do mesmo modo como a semente pode levada pelos pássaros, pode ser queimada quando não lança raízes profundas, pode ser sufocada pelos espinhos, assim também a Palavra de Deus. A palavra de Deus não é uma força que obriga a partir de fora. Ela é um convite que espera a livre a aceitação e que, exatamente por isso, pode ser rejeitada. A palavra de Deus é um dom que reclama a nossa aceitação livre. Se a acolhemos no coração ela produz muito fruto, como a semente que cai na terra boa. Só quando nós recebemos a Palavra e a cultivamos voluntariamente é que a Palavra pode frutificar.

A palavra pode não dar frutos por causa de satanás que trabalha para que não a recebamos no coração. Pode não dar frutos por causa da nossa superficialidade e falta de convicção ou pela nossa distração e pelas nossas preocupações mundanas.