Campanha da Fraternidade e Ideologia de Gênero

A CF, mais exatamente o seu Texto-Base, faz algumas menções sobre defesa de pessoas homossexuais. Gostaria de dar alguns esclarecimentos sobre essa defesa para os fiéis da nossa Arquidiocese.

As pessoas com tendências homossexuais não devem sofrer discriminação, nem violência, tampouco serem consideradas cidadãos de segunda categoria. A CF tem como objetivo deixar clara a diferença entre a defesa das pessoas (o que é bom) e a defesa de uma ideologia (o que não é democrático).

A Arquidiocese de Sorocaba rejeita a ideologia de gênero com a mesma clareza e decisão com que repudia o preconceito contra grupos sociais, a discriminação e a exclusão de pessoas. Uma coisa é ensinar e defender o rompimento entre o sexo biológico e a identidade sexual; outra é a atitude misericordiosa em relação às pessoas com tendências homossexuais.

Mais uma vez é preciso repetir: deve-se defender a pessoa humana por causa da inviolabilidade de sua dignidade, não porque ela é LGBT ou negra, ou mulher, ou índio.

Muitas pessoas com tendências homossexuais não se declaram LGBT porque não concordam com a agenda da ideologia de gênero, sofrem com estas tendências e, mais ainda, com as pressões dessa ideologia. Não é democrático dar voz e poder somente a um grupo que, na prática, não defende todas as pessoas com tendências homossexuais, mas uma ideologia que é danosa a todos e à convivência cidadã. Consagrar a ideologia de um grupo como uma doutrina vinculante e impositiva para todos os cidadãos não é boa democracia, mas sua manipulação e instrumentalização.

Desconectar o sexo do gênero e afirmar a orientação de gênero sem levar em conta a evidência do próprio corpo é uma posição fundada numa ideologia e não na realidade. A Arquidiocese de Sorocaba rejeita a ideologia do gênero porque ela subestima a realidade biológica do ser humano e porque é uma teoria reducionista que supervaloriza a construção sociocultural da identidade sexual, opondo-a a natureza. Em vez de colocar em contradição, uma sadia educação deve levar a pessoa a viver em harmonia com o seu corpo, a acolher o sexo biológico como uma dádiva da natureza humana e a se desenvolver com uma identidade bem definida em vista das relações humanas.

Os adeptos da ideologia do gênero defendem, contra todas as evidências científicas e da realidade, que basta um simples ato de vontade para definir a “orientação de gênero” ou a “preferência sexual”. Estão convencidos de que a pessoa pode, sem problemas e sem consequências negativas para si e para os outros, ignorar a realidade do seu sexo biológico para construir sua própria identidade. No fim das contas, a ideologia apregoa: “eu não sou o corpo que tenho e com o qual nasci”; “o meu corpo não diz a verdade sobre mim mesmo”.

Segundo a ideologia de gênero, os homens e as mulheres não têm atração pelo sexo oposto por natureza, mas meramente por causa de condicionamentos da sociedade. Por isso o desejo sexual pode ser orientado para qualquer sexo, o que justificaria o casamento de pessoas do mesmo sexo. Em vez da atração sexual pelo sexo oposto, a ideologia de gênero apregoa uma sexualidade perversa polimorfa.

Infelizmente é próprio de uma ideologia a falta de diálogo com a ciência, com a realidade e com a sociedade. Uma ideologia é um sistema de pensamento fechado em uma lógica de ferro que não permite a possibilidade de revisar sua própria posição. Muitas vezes os cristão são chamados de “dogmáticos” (no sentido pejorativo da palavra). Mas se prestarmos atenção ao modo como os adeptos da ideologia de gênero argumentam e agem perceberemos como eles são “dogmáticos” (no pior sentido da palavra).

Nesta CF, a Igreja Particular de Sorocaba reafirma com toda a firmeza a defesa da dignidade da pessoa. De todas as pessoas! Acolhe as pessoas que tem atração pelo mesmo sexo, encorajando-as à santidade de vida e à vida de castidade. Para elas, a santidade é possível e concreta na Igreja.

A CF na Arquidiocese de Sorocaba tem o objetivo de estar ao lado das famílias que têm membros com tal atração, que sofrem com as pressões e a imposição de uma cultura relativista. Com a CF, a Igreja Particular de Sorocaba está ao lado das famílias que desejam, acolhem a vida e a educam para a paz social e contribuem com o melhor de si mesmas: a religião, a fé e a moral.

A CF na Arquidiocese de Sorocaba refirma a moral cristã e o ensino magisterial. Por isso, rejeita os que nos difamam como defensores da ideologia de gênero pelo simples fato de realizarmos a CF. Essa é uma simplificação injusta. Outra insinuação maldosa contra a CF na nossa Arquidiocese é o de que a coleta da CF tenha a finalidade de financiar grupos defensores da ideologia de gênero. É lamentável que essas acusações sejam feitas e mais ainda que mereçam o crédito dos nossos fiéis. Ao mesmo tempo em que repudia tais insinuações maldosas, convida os detratores a se juntar a nós na busca da conversão pela penitência quaresmal e pela vivência da fraternidade cristã.

 

Por Dom Julio Endi Akamine SAC

Veja mais em: Biografia / Agenda do Arcebispo / Palavra do Pastor / Youtube / Redes Sociais